Dólar tem leve recuo, a R$ 1,587 na venda

Veículo: Valor Econômico
Seção: Mercado
Página:

Dólar tem leve recuo, a R$ 1,587 na venda


SÃO PAULO – O dólar opera com ligeira queda nesta manhã de quinta-feira, refletindo o ingresso de recursos motivado por captações de empresas e bancos no exterior e a cautela que pauta os mercados.

A China divulga à noite uma série de dados econômicos relevantes, como o Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre e dados de inflação, vendas no varejo e produção industrial, referentes a março.

Instantes atrás, a moeda estava a R$ 1,585 na compra e a R$ 1,587 na venda, queda de 0,25%.  

No mercado futuro, o contrato de maio negociado na BM&F tinha estabilidade, a R$ 1,589.

Ontem, o dólar comercial fechou com leve baixa de 0,12%, a R$ 1,591 na venda.

Mais cedo, o país asiático revelou que suas reservas internacionais somaram US$ 3,04 trilhões no fim do mês passado, o que representa elevação de 24,4% na comparação anual, segundo o banco central do país.

Os investidores também souberam que o índice de preços ao produtor nos Estados Unidos aumentou 0,7% em março, na série com ajuste sazonal, percentual abaixo do consenso do mercado (1,1%). Sem alimentos e energia, o indicador avançou 0,3%, resultado próximo da mediana das expectativas (0,2%).

Os novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA somaram na semana 412 mil na semana terminada no dia 9 deste mês, adição de 27 mil em relação à marca antecedente, de 385 mil (revisado). O número surpreendeu negativamente os agentes do mercado, que esperavam que as solicitações somassem cerca de 380 mil. Na média das quatro últimas semanas, houve um aumento de 5,5 mil requerimentos, para 395,750 mil. Os dados são do Departamento do Trabalho americano.

No mercado de câmbio externo, as moedas andavam de lado. O Dollar Index futuro, que mede o desempenho da divisa americana ante uma cesta de moedas, recuava 0,03%, aos 74,96 pontos.

O euro tinha ligeiro declínio, de 0,12%, ante o dólar, a US$ 1,443.

As commodities estavam em queda. Instantes atrás, o índice CRB, que mede o desempenho das commodities, registrava baixa de 0,49%, aos 357,78 pontos.

Nas bolsas de valores, os índices futuros de Wall Street apontavam para um início de pregão negativo. O S&P 500 futuro declinava 0,53%, aos 1.301 pontos, enquanto o Dow Jones futuro declinava 0,43%, aos 12.147 pontos. Por fim, o Nasdaq futuro operava em queda de 0,63%, aos 2.2.94 pontos.

No mercado interno, o Ibovespa subia 0,22%, aos 66.634 pontos.

Por fim, o VIX, que mede a volatilidade das opções no mercado americano e é visto com um termômetro do medo do mercado, recuava 0,99%, aos 16,92 pontos.