Déficit da balança comercial da indústria têxtil marca US$ 1.177,9 milhões

Veículo: MONITOR MERCANTIL
Seção:
Página:


 


Déficit da balança comercial da indústria têxtil e de confecção do Brasil, no primeiro trimestre (janeiro a março) de 2011 foi de US$ 1.177,9 milhões, o que representa um crescimento no déficit de 47,3% em relação ao mesmo período do ano passado, em que o saldo negativo foi de US$ 799,9 milhões. As importações no trimestre foram de US$ 1.518,6 milhões, 35,6% maior do que os US$ 1.119,8 milhões referentes ao mesmo período do ano anterior. E as exportações ficaram em US$ 340,7 milhões, ante US$ 319,9 milhões do mesmo período de 2010, aumento de 6,5%.

Volume das importações totalizaram (de janeiro a março): 300,5 mil toneladas, crescimento de 1,6% em comparação ao mesmo período de 2010, quando o volume registrado foi de 278,4 mil toneladas. E o volume de exportações ficou em 70,8 mil toneladas, aumento de 7,9% nas 69,7 mil toneladas registradas no período de 2010.

Os 10 estados que mais receberam produtos estrangeiros, em valor (importações): Santa Catarina, São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Paraíba, Ceará, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Bahia. E os que mais venderam produtos brasileiros, em valor (exportações): São Paulo, Rio Grande do Sul, Bahia, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Ceará, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás. E os 10 países que mais receberam produtos brasileiros, em valor, foram: Argentina, EUA, Holanda, Venezuela, Colômbia, Paraguai, Uruguai, México, Chile e Peru. E os 10 países dos quais o Brasil mais importou produtos foram a China, Índia, Indonésia, EUA, Argentina, Bangladesh, Taiwan, Coréia do Sul, Tailândia e Itália.