Algodão sobe com estiagem no Texas

Veículo: Estadão
Seção: Economia e Negócios
Página:

Algodão sobe com estiagem no Texas

O clima seco no oeste do Texas, importante região produtora de algodão nos Estados Unidos, impulsionou ontem as cotações da fibra na Bolsa de Nova York. Embora o governo americano preveja um aumento de 15% na área plantada, a estiagem pode atrasar o cultivo da nova safra do Texas. O Estado produz um terço do algodão do país, que é o maior exportador mundial. A incerteza quanto ao clima e a forte demanda dão sustentação aos preços. O contrato da commodity para entrega em maio terminou a quarta-feira em alta de 3,48%, a 208,06 centavos de dólar por libra-peso.

A expectativa em relação à safra também influencia os preços do açúcar, mas neste caso negativamente. A colheita de cana-de-açúcar se iniciou no Brasil, maior produtor mundial da commodity, e começa a pressionar as cotações em Nova York. Ontem, o contrato com vencimento em maio caiu 3,05%. Segundo a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), a produção de cana no Centro-Sul do País em 2011/12 deve ser 2,11% maior do que no ciclo anterior. Por outro lado, a colheita está atrasada e os preços podem encontrar alguma sustentação no curto prazo.

Em Chicago, investidores compraram contratos de soja e venderam milho e trigo. A oleaginosa subiu 0,24%. O milho recuou 0,49% e o trigo cedeu 0,51%, com investidores embolsando lucros obtidos na véspera.