Notícias

Como o aumento no preço do algodão atinge as vendas pelas internet

A alta da cotação internacional do algodão trouxe reflexos para a indústria têxtil nacional. As empresas de venda pela internet ou por revistas também tiveram que se adaptar a este cenário. É o caso da Posthaus, um dos maiores portais de moda do país. As peças vendidas no site não são produzidas na empresa. Mesmo assim o portal sente as consequências. “A alta é histórica e também chegou ao e-commerce. O resultado foi o aumento natural dos preços nos artigos produzidos com esta composição. Algumas empresas fornecedoras optaram em substituir o algodão. Só que isso forçou um aumento no valor também dos outros produtos em função da demanda”, explica o gerente de compras da Posthaus, Jonas Volkmann.

Segundo ele, a alta emperra o ciclo produtivo. “Já que o algodão tem entrado em estado de raridade, os pedidos atrasam e a reposição fica prejudicada”, diz. Com o preço nas alturas, boa parte das empresas brasileiras tem repassado os custos para o consumidor final. Na Posthaus não será diferente. “Não há muito o que fazer. Todo o mercado esta ajustando preços”, diz Volkmann. Como além de vender pela internet o portal também faz vendas por revistas - que tem um ciclo maior - é preciso negociação. “Tentamos negociar os preços ou, pelo menos, negociar para que os pedidos abertos sejam atendidos nos preços antigos. Como temos um grande mix de produtos, o efeito do aumento acaba sendo minimizado, mas existe”, conclui o gerente de compras.

A expectativa da Posthaus é de que a situação fique estabilizada. “O preço do algodão deve cair nos próximos meses, sobretudo quando a safra Brasil começa a ser colhida. Porém acho difícil o valor regressar ao patamar anterior”, comenta. Mesmo assim, a empresa continua em crescimento. O portal Posthaus comercializa, além dos produtos adquiridos de fornecedores em todo o Brasil, mais 30 marcas nacionais e quatro internacionais em sistema de parceria. Nos primeiros dois meses de 2011 as vendas através do e-commerce tiveram um crescimento de 42,40% em relação ao mesmo período de 2010.


Compartilhe:

<< Voltar