Haco vira exigência para assumir a Vila Itoupava

Veículo: Folha de Blumenau
Seção: Política
Página:

Haco vira exigência para assumir a Vila Itoupava
Matéria publicada na edição 448, no dia 18-03-2011


(Arquivo Folha)



(Arquivo Folha)


Se depender do prefeito de Massaranduba, Mario Fernando Reinke (PSDB), o território da Vila Itoupava só será incorporado ao município vizinho se a estrutura e a arrecadação da empresa Haco Etiquetas também saírem de Blumenau. A possível separação da região ganhou força nesta semana, depois da demora nos reparos aos estragos causados pela enxurrada da semana passada. Alguns moradores já manifestaram opinião favorável, já que o fator logístico poderia melhorar a assistência no local. O prefeito local, porém, coloca como pré-condição a mudança na maior empresa da Vila.

Para efeito de comparação, o faturamento registrado pela Haco em 2008 foi de R$ 130 milhões, enquanto a arrecadação anual de Massaranduba gira em torno de R$ 17 milhões. De olho nos valores que voltam para o Poder Público, o prefeito de Massaranduba diz ter condições de atender melhor a região. “A região tem hoje cerca de 15 mil pessoas. Mesmo número de Massaranduba. Teríamos uma cidade com população total de 30 mil, com mais representatividade, sem prejudicar Blumenau”, defende.

Representatividade, sim, mas com poder econômico. Sem a mudança da principal indústria da região, Reinke não cogita aprovar a mudança, já que a cidade dobraria de população, sem o mesmo incremento na arrecadação. “Sou muito simpático à ideia. Acho que podemos cuidar muito bem da Vila Itoupava, porque já atendemos as áreas de Rio Bonito, Três de Maio, que são ligadas à Vila. Mas precisamos do aporte financeiro que as empresas nos dariam”, reforça.



Discussão aberta



Durante a semana, o assunto movimentou os vereadores blumenauenses, que ocuparam a tribuna da Câmara para se posicionar sobre a possibilidade. A vereadora Helenice Luchetta (PSDB) atribuiu a responsabilidade aos estragos da enxurrada, que fizeram com que os moradores da região se sentissem esquecidos. O vereador Antônio Veneza (DEM) foi além: “Estive na Vila Itoupava e acompanhei uma grande mobilização para atender a população durante as chuvas”, garantiu.

O líder do governo na Câmara, Fábio Fiedler (DEM), foi enfático ao garantir que a Prefeitura não mede esforços para investir nas necessidades da Vila Itoupava. Segundo ele, este ano a região deve receber benfeitorias no valor de R$ 10 milhões, valor maior do que outras prefeituras da região poderiam oferecer. “Tenho certeza de que a maior parte do povo da Vila Itoupava não tem esse desejo”, aposta.

Já Deusdith de Souza (PP) aproveitou para criticar a falta de atenção do Poder Público com relação à região. De acordo com ele, perder o território fará a cidade diminuir a população e entrar em outra categoria fiscal, com risco de perder recursos de impostos e do fundo de participação dos municípios. “A coisa não é tão simples assim. Precisamos de muito empenho nesta casa”, ressaltou.