Meta é ter 60% da receita desvinculada de commodities, diz Cosan

Veículo: Estadão
Seção: Economia e Negócios
Página:

Meta é ter 60% da receita desvinculada de commodities, diz Cosan

SÃO PAULO - Depois da finalização da joint venture com a Shell, a Cosan pretende concentrar sua receita em operações desvinculadas da produção de açúcar e etanol. "O objetivo é ter 60% de nossa receita vinda de unidades externas às commodities", disse o presidente da Cosan, Marcos Lutz, durante teleconferência com jornalistas nesta manhã.

Segundo ele, a medida visa reduzir a exposição do fluxo de caixa da empresa ao risco representado pelas commodities. Desta forma, a perspectiva é de que, no futuro, as operações de distribuição de combustíveis, de cogeração de energia e de logística tenham maior participação na receita que as operações de açúcar e etanol. Para Lutz, isto garantirá a previsibilidade do fluxo de caixa da companhia, o que é positivo para o planejamento.

O executivo cita o exemplo do que aconteceu neste terceiro trimestre da safra 2010/11, que engloba os meses de outubro, novembro e dezembro de 2010, quando a receita dos negócios de açúcar e etanol caíram por conta da seca que atingiu a safra de cana-de-açúcar do Brasil e acabaram afetando o lucro líquido da empresa. "Neste trimestre específico, os negócios externos às commodities acabaram tendo uma participação de 45% da receita total por conta da quebra da cana. E, para evitar estas ocorrências, a tendência é que estas operações externas ocupem cada vez mais espaço no negócio", disse. A Cosan registrou lucro de R$ 27,9 milhões no terceiro trimestre de 2010/11, queda de 83% ante igual período do ano anterior.