Uso da capacidade industrial sobe em dezembro, diz CNI

Veículo: Estadão
Seção: Economia e Negócios
Página:

Uso da capacidade industrial sobe em dezembro, diz CNI

BRASÍLIA - A atividade industrial recuou em dezembro do ano passado, apesar da Utilização da Capacidade Instalada (UCI) ter aumentado de 82,6% para 82,8%, de acordo com os Indicadores Industriais divulgados nesta quinta-feira, 10, pela CNI. O faturamento real das empresas recuou 0,6% em relação a novembro, considerando dados dessazonalizados. De acordo com a entidade, o indicador mostrou alternância entre variações positivas e negativas nos últimos quatro meses de 2010. Já na comparação com dezembro de 2009, o faturamento real da indústria cresceu 6,1% e na média de janeiro a dezembro do ano passado, o faturamento ficou 9,9% maior que do ano anterior.

As horas trabalhadas na produção também registraram queda em dezembro, na comparação com novembro do ano passado. O recuo de 2,2% mais do que reverteu a alta que o indicador apresentou nos dois meses anteriores. No entanto, em relação ao mesmo mês de 2009, as horas trabalhadas cresceram 3,4% em dezembro. Na média do ano, o avanço foi de 7,1%.

Da mesma forma, pela primeira vez desde junho de 2009 o emprego na indústria caiu, com variação negativa de 0,5% em dezembro, ante novembro. Ainda assim, a variável registrou aumento de 4,6% em relação a dezembro de 2009 e de 5,4% na média dos 12 meses de 2010.

A massa salarial real da indústria cresceu 10,2% em dezembro, em relação a novembro. O dado, porém, não foi dessazonalizado. Comparativamente ao mesmo mês do ano anterior, o crescimento da massa salarial foi de apenas 1,8%, enquanto na média do ano passado, a expansão foi de 5,9%. Devido ao pagamento do 13º salário e outros extras como distribuição de lucros, o rendimento médio dos trabalhadores da indústria cresceu 12,3% em dezembro, na comparação com novembro (que também são dados originais). No entanto, destacou a CNI, esta foi a menor expansão para meses de dezembro, desde o início da série histórica, em 2006. Na comparação com dezembro de 2009 houve recuo de 2,7%, enquanto na média de 2010, o indicador cresceu 0,5%.