Alimento e educação ajudam a desacelerar inflação em SP

Veículo: Estadão
Seção: Economia e Negócios
Página:

Alimento e educação ajudam a desacelerar inflação em SP


O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), registrou alta de 1,12% na primeira quadrissemana de fevereiro, desacelerando em relação à alta de 1,15% com que fechou o mês de janeiro. O indicador que mede a inflação da cidade de São Paulo ficou pouco acima da mediana das estimativas do AE Projeções, que era de 1,10%. As previsões iam de 0,94% a 1,21%. O IPC acelerou na comparação com a primeira quadrissemana de janeiro, quando ficou em 0,61%.


Na comparação entre o fechamento de janeiro e a primeira prévia de fevereiro, dois dos sete grupos pesquisados registraram desaceleração da alta de preços: Alimentação (de 0,73% para 0,29%) e Educação (de 5,61% para 4,81%). Os preços desaceleraram nos grupos Habitação (de 0,41% para 0,58%), Transportes (de 3,18% para 3,24%), Despesas Pessoais (0,85% para 0,89%), Saúde (de 0,39% para 0,73%) e Vestuário (de 0,04% para 0,15%).