Indústria vai melhor em Estados ligados à produção de commodities

Veículo: Jornal de Santa Catarina
Seção: Radio Folha
Página:

Indústria vai melhor em Estados ligados à produção de commodities

A indústria das diferentes regiões do país tiveram um desempenho especialmente desigual em 2010. De um lado, Estados como Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais e Paraná registraram um desempenho vigoroso. E o motivo é a forte ligação dessas áreas com a produção de commodities, sejam elas agropecuárias ou metálicas, com destaque para o minério de ferro, que impulsionou as indústrias capixaba e mineira.

Do outro lado, as regiões ligadas a setores exportadores, principalmente de produtos de maior valor e intensidade tecnológica, apresentaram resultados bem mais modestos. O câmbio valorizado proporcionou ainda a substituição de itens fabricados no país por importados, afetando setores como calçados, vestuário e outros.

Em grande medida, Estados como Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Bahia foram atingidos pelo impacto negativo do câmbio e suas indústrias cresceram muito em razão da fraca base de comparação de 2009, deprimida por conta da crise global.

Já São Paulo, que responde por quase 40% da indústria do país, viu seu parque fabril crescer 10,1%, pouco abaixo da média nacional. Apesar de vários impactos negativos, dois ramos fortes no Estado livraram a indústria paulista de um desempenho pior: o automotivo e o de máquinas e equipamentos. São Paulo, porém, fechou 2010 muito distante do líder Espírito Santo, onde a produção cresceu 22,3%.

Para 2011, a indústria não contará com a ajuda de uma base de comparação debilitada e crescerá certamente menos. Deve, porém, manter o mesmo padrão de expansão, com a dianteira de commodities e perda de competitividade de ramos vinculados ao comércio exterior.

Essa tendência já ficou clara ao final de 2010. Na média dos últimos três meses do ano passado, a produção industrial caiu em 9 das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).