Balança comercial

Veículo:
Seção:
Página:

• RESULTADOS GERAIS Superávit da segunda semana de janeiro é de US$ 496 milhões A balança comercial brasileira registrou saldo positivo de US$ 496 milhões, com média diária de US$ 99,2 milhões, nos cinco dias úteis (10 a 16) da segunda semana de janeiro de 2011. A corrente de comércio (soma das exportações e importações) totalizou US$ 7,270 bilhões, com média de US$ 1,454 bilhão por dia útil. As exportações, no período, foram de US$ 3,883 bilhões, com média diária de US$ 776,6 milhões. Na comparação com a média da primeira semana do mês (US$ 556,2 milhões), houve aumento de 39,6%. Houve crescimento nas vendas de produtos básicos (30,5%), com destaque para petróleo, café, carne de frango, soja em grão, trigo em grãos e fumo em folhas. Entre os semimanufaturados (92,6%), os principais produtos foram celulose, semimanufaturados de ferro ou aço, açúcar em bruto, ferro-ligas, ferro fundido e óleo de soja em bruto. O aumento dos manufaturados (28,6%) foi devido aos óleos combustíveis, óxidos e hidróxidos de alumínio, autopeças, aviões, açúcar refinado, suco de laranja e pneumáticos. Já as importações, na segunda semana de janeiro, chegaram a US$ 3,387 bilhões, com um resultado médio diário de US$ 677,4 milhões. Pela média diária, houve expansão de 3,7% sobre a média da primeira semana, explicada, principalmente, pelas aquisições de cobre e suas obras, cereais e produtos de moagem, siderúrgicos e farmacêuticos. Mês Nos dez dias úteis de janeiro, as exportações somaram US$ 6,664 bilhões, com média diária de US$ 666,4 milhões. Por esse comparativo, a média diária das vendas externas foi 17,9% superior a de janeiro de 2010 (US$ 565,3 milhões). Cresceram as vendas de básicos (36,3%), com destaque para minério de ferro, carne de frango, café em grão, farelo de soja, milho em grão e soja em grãos. O aumento dos semimanufaturados (44,9%) teve como principais produtos celulose, semimanufaturados de ferro e aço, ferro-ligas, ferro fundido, óleo de soja e couros e peles. Os produtos manufaturados apresentaram decréscimo (-3,4%) por conta, principalmente, de óleos combustíveis, açúcar refinado, automóveis de passageiros, aviões e calçados. Em relação à média diária de dezembro do ano passado (US$ 909,5 milhões), houve queda de 26,7% nas exportações. Foram reduzidas as vendas de manufaturados (-29,1%) e básicos (-33,7%), enquanto que os embarques dos semimanufaturados cresceram 6,9%. As importações do período chegaram a US$ 6,654 bilhões e registraram média diária de US$ 665,4 milhões. Houve aumento de 15,9% na comparação com a média de janeiro do ano passado (US$ 574,1 milhões). Leite e derivados (192%), adubos e fertilizantes (89%), alumínio e suas obras (70,2%), algodão (62,8%), papel e suas obras (38,4%), cobre e suas obras (36,2%), peixes e crustáceos (35,5%), equipamentos mecânicos (34,3%) e borrachas e suas obras (33,4%) foram os produtos com maior aumento de gastos neste comparativo, Na comparação com a média de dezembro de 2010 (US$ 676,1 milhões), houve retração de 1,6%, devido, principalmente, a bebidas e álcool (-51,7%), combustíveis e lubrificantes (-31,6%), peixes e crustáceos (-25,8%), alumínio e suas obras (-19,2%), veículos automóveis e suas partes (-14,0%), produtos diversos das indústrias químicas (-13,8%), farmacêuticos (-13,5%) e extratos tanantes e corantes (-8,8%). O saldo comercial de janeiro está superavitário em US$ 10 milhões (média diária de US$ 1 milhão). Em janeiro do ano passado, a balança comercial teve déficit de US$ 177 milhões (média diária negativa de US$ 8,9 milhões) e, em dezembro de 2010, superávit de US$ 5,368 bilhões (média diária de US$ 233,4 milhões) . A corrente de comércio do mês alcançou US$ 13,318 bilhões (média diária de US$ 1,331 bilhão). Pela média diária, houve aumento de 16,9% no comparativo com janeiro passado (US$ 1,139 bilhão) e queda de 16% na relação com dezembro último (US$ 1,585 bilhão). Na 2ª semana de janeiro, a balança comercial apresentou exportações de US$ 3,883 bilhões e importações de US$ 3,387 bilhões, resultando em superávit de US$ 496 milhões. No ano, as exportações somam US$ 6,664 bilhões, as importações, U$S 6,654 bilhões, com saldo positivo de US$ 10 milhões. • ANÁLISE DA SEMANA A média das exportações da 2ª semana chegou a US$ 776,6 milhões, 39,6% superior à média de US$ 556,2 milhões da 1ª semana, em razão do incremento nas exportações de produtos básicos (+30,5%, de US$ 241,1 milhões para US$ 314,6 milhões, em razão de petróleo, café, carne de frango, soja em grão, trigo em grãos e fumo em folhas); semimanufaturados (+92,6%, de US$ 85,0 milhões para US$ 163,7 milhões, por conta de celulose, semimanufaturados de ferro ou aço, açúcar em bruto, ferro- ligas, ferro fundido e óleo de soja em bruto); e manufaturados (+28,6%, de US$ 219,6 milhões para US$ 282,3 milhões, em razão, principalmente, de óleos combustíveis, óxidos e hidróxidos de alumínio, autopeças, aviões, açúcar refinado, suco de laranja e pneumáticos). Do lado das importações, apontou-se aumento de 3,7%, sobre igual período comparativo (média da 2ª semana/média da 1ª semana), explicada, principalmente, pela expansão nos gastos com cobre e suas obras, cereais e produtos de moagem, siderúrgicos e farmacêuticos. • ANÁLISE DO MÊS Nas exportações, comparadas as médias até a 2ª semana de janeiro/2011 (US$ 666,4 milhões) com a de janeiro/2010 (US$ 565,3 milhões), houve aumento de 17,9%, em razão do crescimento nas vendas de básicos (+36,3%, de US$ 203,8 milhões para US$ 277,8 milhões, por conta de minério de ferro, carne de frango, café em grão, farelo de soja, milho em grão e soja em grãos); e semimanufaturados (+44,9%, de US$ 85,8 milhões para US$ 124,4 milhões, por conta de celulose, semimanufaturados de ferro/aço, ferro-ligas, ferro fundido, óleo de soja e couros e peles), enquanto os produtos manufaturados apresentaram decréscimo (-3,4%, de US$ 259,9 milhões para US$ 251,0 milhões, por conta, principalmente, de óleos combustíveis, açúcar refinado, automóveis de passageiros, aviões e calçados). Relativamente a dezembro/2010, a média diária das exportações se retraiu em 26,7% (de US$ 909,5 milhões para US$ 666,4 milhões), devido à redução de manufaturados (-29,1%, de US$ 353,8 milhões para US$ 251,0 milhões) e básicos (-33,7%, de US$ 418,9 milhões para US$ 277,8 milhões), enquanto os semimanufaturados cresceram 6,9%, de US$ 116,4 milhões para US$ 124,4 milhões. Nas importações, a média diária até a 2ª semana de janeiro/2011, de US$ 665,4 milhões, ficou 15,9% acima da média de janeiro/2010 (US$ 574,1 milhões) e 1,6% inferior a dezembro/2010 (US$ 676,1 milhões). No comparativo com janeiro/2010, aumentaram os gastos, principalmente, com leite e derivados (+192,0%), adubos e fertilizantes (+89,0%), alumínio e suas obras (+70,2%), algodão (+62,8%), papel e suas obras (38,4%), cobre e suas obras (+36,2%), peixes e crustáceos (+35,5%), equipamentos mecânicos (+34,3%) e borrachas e suas obras (+33,4%). Em relação a dezembro/2010, houve redução nos seguintes produtos: bebidas e álcool (-51,7%), combustíveis e lubrificantes (-31,6%), peixes e crustáceos (-25,8%), alumínio e suas obras (-19,2%), veículos automóveis e suas partes (-14,0%), produtos diversos das indústrias químicas (-13,8%), farmacêuticos (-13,5%) e extratos tanantes e corantes (-8,8%). SECEX/DEPLA 17.01.2011 Período Dias Úteis EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO CORR. COMÉRCIO SALDO Valor Média p/ dia útil Valor Média p/ dia útil Valor Média p/ dia útil Valor Média p/ dia útil Janeiro (até 2ª semana) 10 6.664 666,4 6.654 665,4 13.318 1.331,8 10 1,0 1a. semana (01 a 09) 5 2.781 556,2 3.267 653,4 6.048 1.209,6 -486 -97,2 2a. semana (10 a 16) 5 3.883 776,6 3.387 677,4 7.270 1.454,0 496 99,2 Acumulado no ano 10 6.664 666,4 6.654 665,4 13.318 1.331,8 10 1,0 Janeiro 10 6.664 666,4 6.654 665,4 13.318 1.331,8 10 1,0 Janeiro/2010 20 11.305 565,3 11.482 574,1 22.787 1.139,4 -177 -8,9 Dezembro/2010 23 20.919 909,5 15.551 676,1 36.470 1.585,7 5.368 233,4 Var. % Janeiro-2011/Janeiro-2010 17,9 15,9 16,9 -105,6 -111,3 Var. % Janeiro-2011/Dezembro-2010 -26,7 -1,6 -16,0 -99,8 -99,6