Dólar em alta desvaloriza algodão

Veículo: Estadão
Seção: Economia
Página:

A expressiva alta do dólar ante outras moedas ontem pesou sobre alguns mercados de matérias-primas, entre eles o do algodão. Na Bolsa de Nova York, o contrato março cedeu 1,63%, para 142,14 centavos de dólar por libra-peso. O fato de a Índia ter adiado a decisão sobre suas exportações também influenciou a atividade no dia. Por causa da demanda forte no mercado internacional, espera-se que o país restrinja os embarques para garantir o abastecimento interno. Apesar do recuo, os preços do algodão acumulam alta de 83% em 2010 e devem seguir sustentados diante da elevação do consumo de países como a China, que deve triplicar as cotas de importação da fibra. As cotações do café subiram 0,37% para 217,50 centavos de dólar por libra-peso em Nova York. O mercado da commodity oscilou com o câmbio durante todo o dia, mas a escassez de grão no mercado tem sustentado os preços. Os estoques da bolsa nos EUA, por exemplo, caíram 44% neste ano, para 1,72 milhão de sacas. Uma baixa provocada por anos de queda da oferta na América Central e na Colômbia. Em Chicago, as cotações do milho caíram com realizações de lucro depois de terem alcançado máxima de 27 meses há alguns dias. O contrato março cedeu 0,51%, para US$ 5,8425 por bushel. O mercado do grão também foi influenciado pela alta da moeda norte-americana.