Alta da inflação decorre de commodities e sazonalidade, diz Mantega

Veículo: Estadão
Seção: Economia
Página:

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, avaliou nesta quinta-feira, 2, que a alta da inflação decorre do aumento dos preços das commodities, principalmente de alimentação, e da sazonalidade. "Esta é uma questão mundial e ocorre aqui no Brasil também", observou. Segundo ele, a alta das commodities ocorre porque não há alternativas de investimentos e isso faz com que sobrem recursos no mercado internacional. "Há um pouco de especulação em commodities, além de sazonalidade dos preços dos alimentos", afirmou. Mantega disse que após a disparada dos preços de alguns grãos no Brasil, como milho feijão e trigo, já existem sinais de reversão dos preços no atacado, que ainda não aparece no varejo. "É um movimento cíclico e a reação não ocorre rapidamente", analisou. "Esse movimento deve aparecer no varejo apenas em janeiro", previu. De acordo com o ministro, os preços da carne, no entanto, devem continuar em alta no próximo ano, pois há falta do produto no mercado internacional. 'É importante não olhar só alimentos' O ministro da Fazenda destacou que a avaliação sobre o comportamento da inflação não deve ser feita apenas pela observação dos alimentos, mas do conjunto dos preços da economia. "Esperamos um crescimento de 7,5% este ano, então a demanda está forte", ressaltou, estimando que este ano será registrado o melhor Natal para o varejo. O ministro salientou ainda que, se for anualizado, o núcleo do IPCA sem alimentação e combustíveis a inflação acumulada em 12 meses estará abaixo de 5% e, com esses componentes, a taxa sobe para 5,2%. "Estamos dentro da meta. Um pouco acima do centro, mas num movimento relacionado com uma economia que está crescendo fortemente", disse. Ele salientou que uma prova disso é a falta de mão de obra no mercado de trabalho. Ainda assim, garantiu que a situação está sob controle: "a inflação não vai escapar da meta".