Austrália faz trigo disparar 7% nos EUA

Veículo: Estadão
Seção: Economia
Página:

Após algumas semanas de calmaria, o mercado do trigo voltou a ficar movimentado na Bolsa de Chicago, ontem. O contrato março disparou 7,17% e fechou em US$ 7,40 por bushel por causa das chuvas sobre as lavouras na Austrália, um dos maiores produtores e exportadores do cereal no mundo. O excesso de umidade, justo na época da colheita, deve reduzir ainda mais a já prejudicada qualidade do grão australiano. É mais um país a enfrentar dificuldades neste ano. Em agosto, a Rússia suspendeu suas exportações depois que a pior seca dos últimos cem anos quebrou a safra local. Na outra ponta, a demanda continua forte, o que também inflaciona as cotações nas bolsas de futuros. O Egito, maior importador de trigo, tem feito compras de mais de 200 mil toneladas praticamente todas as semanas. Só ontem foram 220 mil toneladas. Completando a fila de variáveis positivas do dia, o dólar se desvalorizou ante o euro, o que beneficiou os mercados de commodities negociadas nessa moeda, que ficaram mais baratas para o importador. Outro produto a encarecer ontem foi o algodão. O contrato março fechou no limite de alta (400 pontos) permitido pela Bolsa de Nova York depois que a Índia suspendeu as exportações de fios de algodão para preservar o mercado doméstico de uma eventual escassez. O contrato março fechou com alta de 3,41% para 121,34 centavos de dólar por libra-peso.