Empresas criam blogs para divulgar marcas

Veículo: Jornal da Tarde
Seção:
Página:



No início do mês, dezenas de consumidoras tiveram seus nomes incluídos numa lista de espera
para comprar um tamanco da marca Corello, tamanha foi a procura pelo modelo após o lançamento.
O inusitado dessa história não é o sucesso da venda em si, mas o fato de o produto ter sido lançado
em um blog, ferramenta que começa a ser usada pelas empresas no Brasil como espaço de
divulgação de marcas. Diante do alcance e da amplitude que uma informação divulgada no blog
pode ter, eles têm se tornado tão importantes para algumas empresas como as redes sociais, como
o Twitter e o Facebook. A produção, no início quase amadora, passou a ser terceirizada: equipes de
jornalistas, designers e publicitários fazem o conteúdo. O objetivo é tornar o site complementar aos
anúncios tradicionais, veiculados em mídia impressa ou na TV, e permitir a interação com o público.

A Corello criou o seu há três anos. Além de mostrar as novidades da marca, o “Pé na Moda” traz
entrevistas e reportagens relacionadas ao universo feminino e conta 2 mil acessos diários. “O blog
se tornou uma ferramenta indispensável para a marca. Ele fideliza as clientes e serve como
complemento de um plano geral de mídia”, afirma Alice Ferraz, diretora criativa da agência de
propaganda Ferraz Inteligência de Moda, que desenvolveu o projeto. A agência já criou blogs
também para marcas como Le Postiche, Costume, Lita Mortari e Arno. “Para dar certo, o blog
precisa ter informação relevante para o público daquela marca, e não fazer apenas autopromoção.”

Branding - O blog também pode ajudar a construir ou modificar a imagem que uma marca tem para o
mercado e para o público. A marca de lingeries Hope, que passa por um processo de
desindustrialização com foco no varejo, criou o “Loucas por lingerie” em julho. “Já tínhamos um
trabalho com blogueiras de moda que divulgavam nosso trabalho. Decidimos criar o nosso porque
consideramos que é uma ferramenta de branding muito interessante, que permite um retorno muito
rápido das consumidoras”, afirma Sandra Chayo, gerente de marketing da empresa. O blog acumula
cerca de 25 mil acessos por mês.

Desde o ano passado, a C&A mantém o blog “Tá na vitrine, tá na
C&A”. “O blog foi a primeira ferramenta de redes sociais da marca. O retorno é excelente. É uma
forma de estar perto do público, transmitir informação de moda e mostrar conteúdos e produtos da
empresa”, diz o diretor de marketing, Élio França. A tendência, ainda restrita ao mundo da moda,
começou a ser amplificada pela indústria de esmaltes. As empresas do setor perceberam que
poderiam gastar pouco e ter muita publicidade com a divulgação de seus lançamentos, em primeira
mão, para blogs que tratam do assunto. O resultado é que hoje muitas delas, como Risqué e Mohda,
têm os seus próprios endereços. (Aiana Freitas)