Protecionismo nos EUA pode afetar as exportações brasileiras

Veículo: Monitor Mercantil
Seção:
Página:




A adoção, pelo governo norte-americano, de medidas para coibir as importações que considera desleais e reforçar medidas protecionistas pode ter consequencias negativas para as exportações brasileiras e, por extensão, para a economia do país
A adoção, pelo governo norte-americano, de medidas para coibir as importações que considera desleais e reforçar medidas protecionistas pode ter consequencias negativas para as exportações brasileiras e, por extensão, para a economia do país. Essa é a avaliação do economista Rogério César de Souza, do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (IED).

"Há muitos setores cujas exportações ainda estão se recuperando da crise econômica internacional e medidas como essa podem afetá-los", disse o economista à Agência Brasil, explicando ainda estar analisando o teor das medidas anunciadas nesta quinta-feira pelo secretário de Comércio, Gary Locke, em Washington.

Souza considera que é cedo para citar quais setores, eventualmente, poderiam ser atingidos. "Em tese, o setor agropecuário, a mineração e parte da indústria. Teremos que ver como o Brasil, se for o caso, irá reagir (às medidas)".

Caso seja constatado que a proposta de endurecimento da legislação comercial norte-americana descumpra as normas internacionais, o Brasil poderá questionar os Estados Unidos, afirmou nesta sexta-feira o secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Welber Barral. Segundo ele, o governo ainda está analisando o texto da nova legislação antidumping e deverá apresentar posicionamento sobre o assunto nesta semana.

Fonte: Monitor Mercantil