Dudalina aposta no público feminino

Veículo: Folha de S. Paulo
Seção: Mercado
Página:


Após 53 anos com peças masculinas, empresa quer aproveitar crescimento da mulher no mercado de trabalho

Empresa revisou meta com bom desempenho das vendas e espera fabricar 45 mil camisas femininas em 2010

Leticia Moreira - 29.mai.2010/Folhapress
 
Sônia Hess de Souza, presidente da Dudalina: empresa pretende ter 25 novas fornecedoras para peças femininas e quer mais dez franquias até 2011

GRAZIELLE SCHNEIDER
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Com mais de 53 anos de experiência na produção de camisas masculinas de tecido, a catarinense Dudalina lança oficialmente, na próxima semana, a sua primeira linha focada nas mulheres.
Para os modelistas da empresa, houve inspiração abundante na hora de criar o design dos produtos. Dos 1.300 funcionários da empresa, mais de mil são mulheres.
"Não nos faltou modelo para provar e aprovar. Só aqui eu já tenho uma venda garantida", brinca Sônia Hess de Souza, presidente da Dudalina e filha dos fundadores da empresa.
Sônia afirma que, em 2010, terá uma equipe de vendas de 12 pessoas para a linha, mas que em janeiro, quando lançar a coleção de inverno, pretende ter 25 representantes pelo país. A meta é vender para mulheres no Brasil inteiro -a coleção masculina está disponível em 1.800 pontos de venda.
A Dudalina já experimenta a venda das camisas femininas em, pelo menos, dez pontos, e está "vendendo muito", de acordo com Sônia. A previsão inicial era de produzir 15 mil camisas até o fim do ano, porém, com a boa aceitação, a empresa já considera produzir o triplo.
"Quando tomamos a decisão, o espaço que eu tinha na produção era disso [15 mil], mas fomos procurar alternativas para fazer essas 45 mil peças que o mercado quer.", explica a empresária.

AGORA É A HORA
Apesar de afirmar que a decisão de lançar a linha feminina foi tomada rapidamente, Sônia conta que a ideia vem de longe. Só agora, porém, teve "coragem" de botá-la em prática.
"A gente só faz quando tem certeza que será um sucesso. A mulher tem um detalhe: ela não leva uma só. Ela leva duas, três, e volta para buscar mais.", aponta.
A confiança de Sônia no sucesso de vendas é justificada pelo aumento da presença da mulher no mercado de trabalho e pelo desejo por camisas de qualidade.
"A gente não vai fazer roupa de "frufrus". É uma camisaria em que a mulher veste a camisa e fica linda, poderosa e pronta para qualquer ocasião, tanto para o dia de trabalho como para a balada ou um evento social", diz.
Sônia destaca a característica "simples, mas não simplória" do design das peças.

FRANQUIA
Em 2006, a empresa lançou uma franquia própria, a Dudalina Concept, para a venda exclusiva dos produtos das suas três marcas -Dudalina, Base e Individual. No entanto, grande parte das vendas ainda é feita em lojas multimarcas.
As lojas franqueadas são seis: cinco no Sul e uma em São Paulo, no aeroporto de Congonhas.
Até o fim de 2011, a empresa pretende abrir ao menos mais dez lojas.
Segundo a presidente, a Dudalina não está indo "com muita gula" na expansão da franquia. O foco agora é a abertura de uma loja com um novo conceito em São Paulo.
"Ela vai ter algumas coisas diferentes, é uma forma de comunicar com o consumidor diferente, pois eu quero estar muito perto dele. Não vai ser um "concept" na sua forma de shopping, que geralmente é padronizado", afirma.