Estrutura da Vila Germânica pode ser privatizada até 2012

Veículo: Diário Catarinense
Seção: Economia
Página:

Possibilidade de privatização agrada os envolvidos no turismo de negócios - Rafaela Martins

Possibilidade de privatização agrada os envolvidos no turismo de negócios
Foto:Rafaela Martins


Prefeitura de Blumenau paga R$ 80 mil por mês de manunteção

Daniela Matthes | daniela.matthes@santa.com.br

Até 2012 a Vila Germânica deve ser concedida para a exploração da iniciativa privada. Esta é a expectativa do presidente da Fundação Promotora de Exposições de Blumenau (Proeb), Norberto Mette. Hoje, R$ 80 mil saem mensalmente dos cofres da prefeitura para manter a estrutura.

A possibilidade agrada os envolvidos no turismo de negócios. A forma como ocorrerá a negociação ainda é estudada. A área, segundo Mette, continuará pertencendo à prefeitura, mas será concedida a uma empresa exploradora do espaço, que trabalhará na divulgação da cidade e investirá na infraestrutura.

Para a diretoria da Vila Germânica, seria uma forma de impulsionar o turismo, especialmente o de negócios. A necessidade de investimento imediato está estimada em R$ 20 milhões.

O empresário que assumir bancaria as melhorias na Vila e arredores. Sobre eventos importantes, há intenção de manter a Oktoberfest nas mãos da prefeitura — garantindo que a festa continue com características originais — e assegurar outros, como a Feira da Amizade. O corpo de 30 funcionários da Vila não seria afetado.

— Teremos muito cuidado na escolha de quem irá deter a concessão. Será uma concorrência pública. A empresa terá uma carta de obrigações a cumprir — afirma Mette.

As opiniões sobre a negociação confirmam o principal anseio do setor: a construção do centro de convenções, com capacidade para 2 mil pessoas. Organizadores dos dois principais eventos de negócios na Vila Germânica — Febratex e Texfair — acreditam no sucesso da iniciativa.

Ulrich Kuhn, presidente do Sintex, defende que a concessão de espaços públicos é um caminho natural no turismo de negócios. Hélvio Roberto Pompeo Madeira, presidente da Febratex, acredita nos benefícios mas se preocupa com o bom atendimento aos promotores de feiras.

 Os dois lados
Pontos positivos
— Investimento na manutenção do centro de eventos

— Construção de um hotel de alto padrão próximo à Vila

— Reforma do estacionamento

— Maior divulgação de Blumenau

— Captação de mais eventos

— Construção do centro de convenções

— Melhora no índice médio de ocupação da rede hoteleira
Pontos negativos
— Encontrar investidores com capacidade financeira e técnica para cumprir o contrato

— Risco de supervalorização do espaço