Produção de algodão cai e atinge a indústria

Veículo: Gazeta Digital
Seção:
Página:



27 de agosto de 2010
A redução da produtividade do algodão e as vendas no mercado futuro comprometem o abastecimento do mercado interno, principalmente da indústria têxtil. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estima que no País haja uma retração de 36% no estoque final de algodão e de 435 mil toneladas registrados em 2009 deve chegar a 276 mil toneladas ao final desta safra. Em Mato Grosso, a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) estima que a queda na produção seja de 20%. Com os estoques em baixa, as indústrias têxteis do Brasil devem importar 150 mil de toneladas no primeiro semestre para atender à demanda de produção, volume 114% superior ao importado no primeiro semestre de 2010.

O presidente da Ampa, Gilson Pinesso, explica que a comercialização com o mercado interno, devido a queda de produção está vantajosa e que os preços equivalem ao que o comércio exterior paga. Porém, em virtude das vendas futuras, 60% da produção já está comprometida com outros países. "O mercado interno está pagando bem, mas devido ao comprometimento com as vendas futuras, somado à redução na produção, não teremos como abastecer às indústrias". A escassez no produto influencia também o preço da pluma do algodão, que em agosto acumula uma alta de 17% nos preços, com relação ao mês anterior. A valorização, que poderia ser revertida em investimentos para o aumento da área plantada, que na safra 2009/2010 foi de 416 mil hectares, não deve se concretizar. Pinesso explica que apesar da valorização, pouco será aproveitado. "O produtor não está se beneficiando disso. Com 60% comercializado antes, 20% de queda na produção, apenas 20% será beneficiado por essa alta".







Fonte: Gazeta Digital