'Refis' se alastra e atrai as empresas

Veículo: Valor Econômico
Seção:
Página:

 


    Marta Watanabe, de São Paulo
    28/05/2010
Texto: A- A+
 
 

 

Há dez anos, quando foi lançado o Refis original, o primeiro parcelamento extraordinário com condições generosas para o pagamento de tributos federais, grandes empresas passaram longe do programa. Hoje, com o grande número de programas de parcelamento de tributos da União, Estados e municípios, não é mais assim. Das 30 maiores companhias de capital aberto, 18 - Ultrapar, Telemar, Gerdau, Pão de Açúcar, AmBev, Braskem, Eletrobras, TIM Participações, Marfrig, CSN, Usiminas, Lojas Americanas, Amil, Neoenergia, Embraer, Sabesp, Fibria e Light - mencionam em seus balanços encerrados em março o aproveitamento de alguma anistia ou parcelamento extraordinário de tributos. "Os parcelamentos representam hoje uma oportunidade e um excelente negócio", diz o advogado José Carlos Vergueiro.