Decisão sobre o IPI foi "trágica", diz empresário

Veículo: Diário Catarinense
Seção: Informe Econômico
Página:

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), quinta-feira à noite, de considerar o crédito-prêmio de IPI extinto em outubro de 1990, abalou o setor exportador de SC, que esperava como prazo final 2002. O presidente do Sindicato das Indústrias Têxteis e do Vestuário de Blumenau (Sintex), Ulrich Kuhn, diz que a decisão do STF foi trágica e que a Região Sul será a mais prejudicada, porque tem centenas de empresas exportadoras de manufaturados.

Segundo ele, a esperança, agora, é conversar com o presidente Lula para que ele use o bom senso e sancione a MP 460 ou negocie um acordo. Se nada for feito e as empresas tiverem que pagar o crédito já utilizado, várias terão que fechar as portas.

Conforme Kuhn, a aprovação não traria perdas aos cofres públicos porque não envolveria dinheiro, seria uma troca de dívidas tributárias atrasadas entre empresas e a União. O empresário diz, ainda, que o STF foi pressionado pela Receita Federal, que majorou cálculos. Chegaram a dizer que os valores devidos pela União ficariam em R$ 400 bilhões, mas pelas contas da FGV, são da ordem de R$ 20 bilhões.