Empresários cobram postura do Planalto

Veículo: Diário Catarinense
Seção: Economia
Página: www.diario.com.br


Sem uma resposta firme do governo federal contra as medidas protecionistas da Argentina, o presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau (Sintex), Ulrich Kuhn, acredita que o destino das exportações catarinenses para o país vizinho é ladeira abaixo.

Kuhn deposita as esperanças de se reverter este quadro na reunião bilateral entre representantes do Brasil e da Argentina, prevista para ocorrer este mês.

– A espera das eleições legislativas da Argentina fez parte de uma espécie de código de ética entre países vizinhos. Mas agora é a hora de rever essas medidas protecionistas. Estamos vivendo uma absoluta imprevisibilidade do fluxo comercial – aponta o presidente do Sintex.

Kuhn reclama da “benevolência” do governo brasileiro para com a atual postura argentina.

– E enquanto não mudar, a queda nas exportações vai continuar avançando – acrescenta.

Antecipando-se à retomada do debate entre os governos vizinhos, empresários de setores como o de autopeças firmam acordos fixando limites para as restrições protecionistas. O diretor do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) em SC, Hugo Ferreira, cita como exemplo o acordo estabelecido em junho para embreagens e freios. Segundo Ferreira, o previsto é exportar 30% menos do que o total vendido no ano passado para os argentinos.