Feira mostra reação das têxteis de SC

Veículo: Diário Catarinense
Seção: Economia
Página: www.diario.com.br

 

Público deve chegar a 10 mil

A primeira grande feira têxtil de 2009 começa hoje provando que a tragédia das chuvas de novembro não inundou os negócios.

A segunda edição da Feira Internacional de Materiais para a Indústria Têxtil de de Confecção (Fematex) trouxe a Blumenau 70 expositores, sendo 21 de Santa Catarina e um do exterior (Austrália). E mesmo com a crise econômica mundial, todos estão muito otimistas.

– Estamos com quase o mesmo número de expositores do ano passado, mas esperamos que o público visitante chegue a 10 mil, quatro mil a mais que na outra edição – estima Renato Valim, diretor do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau (Sintex), organizadora da feira.

Os expositores também não têm do que reclamar. Estão otimistas quanto aos negócios. Aliás, nem a crise financeira mundial impediu que eles viessem à feira.

– Em momentos de crise é que vemos as oportunidades. Oportunidade de falar com o nosso público, fornecedores e de fazer novos clientes – disse animada Mariana Neves, analista de marketing de uma indústria têxtil que está estreando na feira.

Hora ideal de pisar no acelerador

Outro expositor otimista é Rogério Selhorst. Ele veio de Jaraguá do Sul e está expondo pela segunda vez na Fematex. E não se arrepende de ter vindo novamente.

– A hora ideal para pisar no acelerador é agora – falou.

Alguns expositores tiveram a impressão que a feira está menor este ano. E está. São 10 estandes a menos. E são dois os motivos: a crise mundial que obrigou muitas empresas a pisar no freio de investimentos e a tragédia das chuvas.