Indústria catarinense desacelera no final, mas balanço de 2008 é positivo

Veículo: Guia Têxtil
Seção: Economia
Página: www.guiatextil.com

A FIESC divulgou nesta segunda-feira balanço dos principais dados econômicos do ano, que mostram crescimento até setembro, mas setração nos últimos meses do ano

Os principais indicadores econômicos de Santa Catarina mostram que a indústria do estado vinha conseguindo ótimos resultados até o mês de setembro e no último trimestre sofreu o impacto da crise financeira internacional e, em algumas áreas, das enchentes. Apesar dos números dos últimos meses, balanço divulgado pela Federação das Indústrias (FIESC) nesta segunda-feira (15) mostra que no acumulado de janeiro a outubro a indústria catarinense registrou alta de 1,2% na produção, 9,3% nas vendas e 5,9% no emprego em relação ao mesmo período de 2007. Também cresceram, na mesma comparação, as exportações (18,2%) e as importações (70,8%).

"Este foi um ano bem diferente. Tudo vinha muito bem até setembro, quando a crise se agravou nos Estados Unidos e atingiu todo o planeta, inclusive Santa Catarina. E ainda, em novembro, vieram as chuvas para piorar a situação", afirmou o presidente da FIESC, Alcantaro Côrrea. Ele destacou que a recuperação deve iniciar já em 2009, mas que a velocidade vai depender da rapidez com que as medidas de apoio do governo à indústria serão implementadas. Corrêa ressaltou que as decisões anunciadas na semana passada, beneficiando a indústria automobilística, mostram que o governo está preocupado. "Mas outros setores importantes, como a construção civil e a agricultura, precisam de crédito e financiamento em condições adequadas", disse.

Os dados do Ministério do Trabalho e Emprego mostram que foram criados 33.351 empregos pela indústria de transformação nos primeiros dez meses do ano, com alta de 5,9% no período. Em novembro, contudo, a pesquisa da FIESC sinaliza redução. A queda foi de 0,67% na comparação com outubro no grupo de 357 indústrias de médio e grande porte que participam do levantamento, um saldo negativo de 1.524 postos de trabalho no mês.

Os dados do comércio exterior, divulgado pela FIESC também nesta segunda, mostram queda em novembro, em grande parte pelo fechamento do Porto de Itajaí na segunda quinzena do mês, por causa dos estragos causados pelas chuvas. As exportações do estado ficaram em US$ 486 milhões, queda de 35% em relação a outubro e de 24,1% sobre o mesmo período de 2007. No ano, no entanto, Santa Catarina ainda acumula alta de 14,2% nas vendas externas, com um total de US$ 7,69 bilhões em embarques entre janeiro e novembro. As importações também diminuíram em novembro em relação a outubro. A retração foi de 20,5%, para US$ 601,5 milhões. Sobre novembro de 2007, no entanto, as compras de outros países cresceram 20,12%. No ano, a alta é de 65,2%, com importações de US$ 7,44 bilhões. Com isso, o saldo da balança comercial catarinense diminuiu de US$ 2,23 bilhões entre janeiro e novembro de 2007 para US$ 248,8 milhões este ano, uma redução de 88,9%.

Fonte: FIESC