Ano ser? de recordes na produ??o de gr?os e carnes

Veículo: Portal do Agroneg?cios
Seção:
Página:

   

 
Perspectiva do governo é que o período seja o melhor da história, com preços altos. A temporada 2007/08 será a melhor da história para a agropecuária brasileira, segundo a prospecção da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para os principais segmentos do agronegócio. O estudo mostra que o País terá recorde de produção de grãos - com exceção para o arroz - e de carnes. Aliado a isso, grande parte dos produtos terá preços mais altos. "Tem tudo para ser recorde em quantidade e em preços. E, nas carnes, também será o melhor ano", diz Paulo Morceli, superintendente de Gestão de Oferta da Conab. Segundo ele, o ano será extraordinário se os parâmetros projetados se confirmarem - e o clima ajudar. No que tange às cotações dos produtos agropecuários, Morceli diz que alguns analistas acreditam que os valores mais altos sejam uma questão conjuntural, enquanto outros acreditam que são novos patamares, permanentes. De acordo com o levantamento, o maior aumento na produção se dará no frango: 10% - o dobro do incremento projetado para 2007. O analista do produto, Ézio José Santiago, explica que a variação é decorrente tanto de um consumo interno quanto externo maior. A Conab estima uma exportação 15% superior em 2008. Para a pecuária de corte, o aumento também é superior ao indicado neste ano: 3,5% ante a 2%. A estatal indica um incremento na produção menor que o da exportação (7,9%). Apesar de não ter feito projeções para preços, Santiago diz que 2008 deve ser de cotações mais elevadas. "O mundo todo está consumindo mais proteína animal", argumenta. Impulsionado pelas carnes e leite, o milho pode ter um aumento de 9,8% na colheita, de acordo com a prospecção da Conab. "Os indicadores de consumo mostram como será a safra, que cresce para atende ao mercado", diz Marco Antônio de Carvalho, analista da estatal. De acordo com o seu estudo, "o processo de comercialização mundial é irreversível para os próximos anos", indicando exportações crescentes. Na atual temporada, poderão chegar a 9,5 milhões de toneladas. Para o algodão, a Conab projeta uma safra até 9,5% maior. O número, no entanto, pode ser ainda superior. Djalma Fernandes de Aquino, analista da Conab, explica que o cenário de preços já está traçado - com redução nos estoques mundiais - o que pode mudar é o clima no Brasil. De acordo com ele, dependendo de como ocorrer o plantio de soja - com atraso-, a área de algodão tende a crescer. "É o último produto a ser plantado", lembra. Ele acrescenta ainda que área cresce em função também das negociações antecipadas. Pelas estimativas da estatal, mais de 40% da colheita 2007/08 já foi comercializada. Para a soja, a prospecção da Conab indica um aumento de 1,3% a 6% na safra. Segundo o analista João Paulo de Moraes Filho, o maior crescimento na área plantada se dará no Centro Oeste, onde a soja tem rentabilidade melhor que o milho. Pelas estimativas da estatal, 19% da produção esperada está negociada ante a 8% no mesmo período do ano passado. "A venda antecipada ajuda a aumentar a área do grão", diz. Morceli lembra que o arroz é um dos poucos produtos que não terá colheita recorde, mas que apesar disso, terá aumento. Pelas projeções da estatal, a produção do cereal pode chegar a 12,2 milhões de toneladas - 7,9% a mais -, com acréscimo de cerca de 500 mil toneladas no Rio Grande do Sul e o restante, nos demais estados produtores.