Mercado interno cresce e ajuda Karsten a reverter preju?zo trimestral

Veículo: Valor Econômico
Seção: Empresas
Página: B6


A indústria têxtil Karsten, com sede em Blumenau (SC), obteve lucro liquido de R$ 2,3 milhões no segundo trimestre, revertendo um prejuízo de R$ 1,1 milhão registrado no mesmo período do ano passado. O bom desempenho foi impulsionado pelo mercado interno, que respondeu por 81% das vendas da empresa, e por mudanças operacionais, implementadas a partir do segundo semestre de 2006.    
Luciano Eric Reis, presidente da empresa, destacou que o resultado foi satisfatório principalmente porque representou uma mudança de tendência em relação ao que a Karsten vinha apresentando. Em 2006, a empresa havia registrado o maior prejuízo da sua história, de R$ 23 milhões, desempenho prejudicado principalmente pela valorização do real ante o dólar.    
Reis, que assumiu a empresa no segundo semestre do ano passado, em um processo de profissionalização da gestão, implementou mudanças operacionais como a criação de um sistema de logística para redução do tempo de entrega dos pedidos e investiu em uma produção enxuta para redução de estoques e na qualificação e treinamento, principalmente da equipe de vendas. Além disso, criou uma marca para classe de renda mais baixa (Casa In) e encerrou um recesso de cerca de 20 anos fora da mídia com uma campanha para reforçar o nome Karsten no mercado nacional. 'O resultado foi um faturamento 12% acima do esperado para o segundo trimestre', destacou.    
A receita líquida consolidada da Karsten ficou em R$ 57 milhões no segundo trimestre ante R$ 67 milhões no mesmo período de 2006. O resultado operacional foi de R$ 3,37 milhões ante um resultado negativo de R$ 3,8 milhões no mesmo período do ano passado. Segundo Reis, houve redução de custos e despesas fixas de cerca de 20% e diminuição do endividamento de R$ 87,4 milhões para R$ 51,6 milhões. No segundo trimestre, a empresa chegou a vender sua participação na Terrisol, subsidiária da Karsten America, mas segundo Reis, não houve interferência dessa venda no balanço porque foi feito um provisionamento, já que ela estava prevista desde 2006 por conta de sucessivos prejuízos.    
O mercado externo respondeu por R$ 13 milhões do faturamento bruto do segundo trimestre, contra R$ 33,5 milhões no mesmo período do ano anterior, com a empresa realizando reajuste de preços e entrando em novos mercados como Leste Europeu, onde a presença dos concorrentes asiáticos é menor. Já o mercado interno apresentou receita de R$ 55,4 milhões ante R$ 45,3 milhões.     Para os próximos meses, a Karsten pretende realizar investimentos de cerca de R$ 3 milhões em tecnologia nas unidades fabris e reforçar as vendas não só no mercado interno, mas em mercados da América Latina como México, Argentina, Chile, Colômbia e Venezuela.